Dr. Cássio Andreoni

Bolsa de urina e reconstrução da bexiga

Atualizado em 30/08/2021
Tempo de leitura: 2 min.

Muitas pessoas perguntaram em minha rede social sobre a bolsa de urina e a reconstrução da bexiga.

Existem diversos problemas urológicos que levam a realização dessa cirurgia. Na maioria das vezes, os dois mais comuns são: câncer de bexiga e problemas neurológicos, ou seja, quando a bexiga para de funcionar e vira uma bolsa sem função nenhuma.

Quando a bolsa de urina é utilizada?

No câncer de bexiga, estima-se que de 15 a 20% dos casos, a solução é a remoção completa do órgão. Quando os problemas são neurológicos, a substituição completa da bexiga, ou a urina para fora, podem resolver o problema.

Para a urina continuar transitando, ela é colocada dentro de uma alça do intestino, que fica para fora da parede abdominal. Além disso, é inserida uma bolsa para a urina sair o tempo inteiro. Muitos desses casos podem ser definitivos.

Quando se tira toda a bexiga, na maioria das vezes devido ao câncer, se põe uma bolsa de urina interpondo um pedaço de intestino, porque o ureter é muito fino. Assim, a reconstrução total da bexiga também pode ser feita.

Em alguns casos, dependendo da extensão do câncer, pode ser retirado um segmento um pouco maior. Por exemplo, para fazer a intercomunicação do ureter com a pele, e colocar a bolsa, precisa de 15 cm do intestino.

Reconstrução da bexiga: Como funciona?

Para reconstruir a bexiga, precisamos de 40 a 55 cm de um segmento do intestino para cortá-lo e remodelá-lo, e fazer um reservatório interno. Colocamos o reservatório lá dentro, bem como os ureteres no reservatório e no intestino, e ligamos o intestino na saída da uretra.

O que eu costumo falar é que a bexiga tem dois modos: o modo caixa d'água que tem um reservatório, e o modo bomba d'água que contrai e expulsa a urina.

Quando a gente reconstrói a bexiga com o intestino, dá para fazer o modo caixa d'água para absorver urina, até que você sinta uma pressão. Muitas vezes, a pessoa precisa fazer uma compressão na barriga para a bomba d'água expulsar urina para fora.

Alguns pacientes não conseguem eliminar a urina dessa forma, e precisam passar o cateter de três a quatro vezes por dia para eliminar a urina.

Você faz o reservatório, reconstrói a bexiga, e impede que a pessoa fique usando bolsa para sempre. Porém, uma porcentagem não vai conseguir eliminar toda a urina, e vai precisar fazer cateterismo para expulsar essa urina através do cateter. Portanto, nenhuma das soluções é perfeita.

Quando a gente precisa remover a bexiga, uma das possibilidades é a chamada urostomia, que é a saída da urina para fora da pele usando a bolsa ou a reconstrução interna. Talvez precise fazer expulsão com força ou com cateterismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo | Prof. Dr. Cássio Andreoni - Urologista Hospital Albert Einstein
CRM 78.546
ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS
ENTRE EM CONTATO
Atenção: O site  cassioandreoni.com.br  apresenta informações de qualidade, sobre a saúde masculina, para orientação de todos. Não substitui uma avaliação completa e diagnóstico adequados, em consulta médica.
Dr. Cássio Andreoni© – CRM 78.546 | 2021 Todos os direitos reservados – Desenvolvido por Surya MKT
Última atualização: 14/09/2021 às 17:45