Dr. Cássio Andreoni

Câncer de rim

Atualizado em 30/08/2021
Tempo de leitura: 2 min.

Recentemente teve o dia nacional do câncer de rim, como é um tema interessante para mim, inclusive do ponto de vista acadêmico, desde que eu voltei dos Estados Unidos atuando na Escola Paulista de Medicina, tenho várias publicações e muitos pós-graduados.

Gostaria de falar sobre algumas novidades desses últimos 20 anos de evolução do câncer de rim. Em primeiro lugar, o câncer de rim é um dos tumores que mais se evoluiu no entendimento molecular. Por conta disso, desde 2005 muitas drogas novas foram lançadas com o intuito de tratar tumores de rim avançados.

Evolução

Dessa forma, principalmente cerca de um ano pra cá, alguns tumores avançados que antigamente era feito a cirurgia direto, hoje temos alguma possibilidade de novas drogas para diminuir esse tumor antes de fazer uma cirurgia.

Além disso, o que mudou muito foi o tamanho do tumor de rim ao diagnóstico. No ano de 2000 e 2001, quando iniciamos o nosso banco de dados, tínhamos uma média do tumor de rim ao diagnóstico em cerca de 9 centímetros. Em 2011, essa média era um pouco mais de 4 centímetros, diminuindo praticamente metade. Nos últimos anos, nosso banco de dados tem uma média um pouco menos de três centímetros.

O que mudou com isso? Se o tamanho de um rim normal é de, mais ou menos, 9 a 11 centímetros em um tumor de 9 centímetros tirávamos o rim na totalidade dos casos. Na cirurgia de tumor, mais de 80% eram retiradas totais do rim. Em 2011, já era ao contrário, 80% nós preservávamos o rim.

Nos últimos anos, com tumores cada vez menores, nós temos a possibilidade de às vezes nem tratar ou operar em pessoas mais idosa e também tratamentos menos invasivos, como colocar uma agulha guiada por ultrassom ou tomografia e fazer o congelamento dessas lesões.

Portanto, houve uma evolução muito grande do câncer de rins nos últimos 20 anos, tanto no que se refere ao diagnóstico que é cada vez menor, quanto no tratamento que cada vez preserva mais o rim com cirurgias menos invasivas. Além disso, recentemente algumas drogas lançadas favorecem até os casos de tumores mais avançados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 14 / 09 / 21
O feocromocitoma é um tumor bastante raro e que pode ser confundido com problemas psicológicos. Saiba como diagnosticá-lo!
Ler Mais
 | 07 / 09 / 21
O câncer de rim não é muito comum, mas quando acontece, o tratamento quase sempre é cirúrgico. Saiba quais são os sintomas!
Ler Mais
1 2 3 11
Logo | Prof. Dr. Cássio Andreoni - Urologista Hospital Albert Einstein
CRM 78.546
ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS
ENTRE EM CONTATO
Atenção: O site  cassioandreoni.com.br  apresenta informações de qualidade, sobre a saúde masculina, para orientação de todos. Não substitui uma avaliação completa e diagnóstico adequados, em consulta médica.

Dr. Cássio Andreoni© – CRM 78.546 | 2021 Todos os direitos reservados – Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Última atualização: 28/09/2021 às 09:27