Dr. Cássio Andreoni

Cisto nos rins: qual o risco de ter câncer?

Atualizado em 30/08/2021
Tempo de leitura: 2 min.

O cisto no rim pode acometer até 70% das pessoas acima de 40 anos. Portanto, ele é muito comum e o diagnóstico é feito através de exames de imagem e de rotina, como o em check-up.

O cisto no rim pode ser comparado a uma pinta, por exemplo, a pinta é muito comum e possui um risco muito baixo de câncer. O mesmo acontece com o cisto.

É cisto ou quisto?

Falando sobre cisto, algumas pessoas costumam chamar de quisto. Porém, cisto e quisto são sinônimos. Em Portugal usa-se ‘quisto’ e aqui no Brasil, a maioria das pessoas fala ‘cisto’, que é derivado do inglês, como cist.

Além disso, a palavra ‘quisto’ não significa maior probabilidade de câncer do que a palavra ‘cisto’.

O tamanho influencia no risco de câncer?

Saiba que o risco de câncer não tem relação com o tamanho do cisto. Ou seja, tamanho não é documento para definir risco de câncer em um cisto renal.

Existem outros fatores que são levados em consideração para diagnosticar risco de câncer, e não tem como concluir apenas com exame de ultrassom. São eles:

  • parte sólida dentro;
  • parede muito grossa.
  • membrana no interior.

Exames de diagnóstico

Esses fatores podem ser avaliados através de uma tomografia ou ressonância com contraste. Existem pessoas com intolerância a um tipo de contraste, por isso, o médico definirá qual o melhor exame para cada paciente, mas no geral, eles são coincidentes em quase 90% dos casos.

O que difere um exame do outro é que a ressonância identifica melhor os contrastes líquidos e a tomografia vê de uma forma mais nítida e clara as calcificações. Por isso, às vezes é importante fazer os dois exames e identificar características diferentes.

Classificação de Bosniak

Depois do diagnóstico, a Classificação de Bosniak é feita para avaliar qual o risco de câncer do cisto, que tem 4 (quatro) graus.

O Bosniak tipo 1 é o cisto simples com 0% de risco, o tipo 2 tem um risco muito baixo, quase 0. Portanto, os cistos de tipo 1 e 2 não são indicados para tratamento, apenas acompanhamento com exames de imagem.

No Bosniak tipo 3, o risco varia entre 40 a 60 %, e o tipo 4 pode chegar a 90% de risco. Nesses casos, o tratamento poderá ser indicado.

Tratamento para cisto nos rins malignos

Existe uma regra quase geral, sempre tem exceções, mas os cistos renais que estão relacionados com câncer são tumores mais “bonzinhos” em que a remoção cirúrgica tem quase 100% de chance de cura definitiva.

De forma que é importante fazer uma avaliação adequada com um excelente exame de imagem e depois discutir as possibilidades de tratamento e individualizá-las.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 14 / 09 / 21
O feocromocitoma é um tumor bastante raro e que pode ser confundido com problemas psicológicos. Saiba como diagnosticá-lo!
Ler Mais
 | 07 / 09 / 21
O câncer de rim não é muito comum, mas quando acontece, o tratamento quase sempre é cirúrgico. Saiba quais são os sintomas!
Ler Mais
1 2 3 11
Logo | Prof. Dr. Cássio Andreoni - Urologista Hospital Albert Einstein
CRM 78.546
ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS
ENTRE EM CONTATO
Atenção: O site  cassioandreoni.com.br  apresenta informações de qualidade, sobre a saúde masculina, para orientação de todos. Não substitui uma avaliação completa e diagnóstico adequados, em consulta médica.
Dr. Cássio Andreoni© – CRM 78.546 | 2021 Todos os direitos reservados – Desenvolvido por Surya MKT
Última atualização: 14/09/2021 às 17:45