Câncer de rim

Recentemente teve o dia nacional do câncer de rim, como é um tema interessante para mim, inclusive do ponto de vista acadêmico, desde que eu voltei dos Estados Unidos atuando na Escola Paulista de Medicina, tenho várias publicações e muitos pós-graduados.

Gostaria de falar sobre algumas novidades desses últimos 20 anos de evolução do câncer de rim. Em primeiro lugar, o câncer de rim é um dos tumores que mais se evoluiu no entendimento molecular. Por conta disso, desde 2005 muitas drogas novas foram lançadas com o intuito de tratar tumores de rim avançados.

 

Evolução

Dessa forma, principalmente cerca de um ano pra cá, alguns tumores avançados que antigamente era feito a cirurgia direto, hoje temos alguma possibilidade de novas drogas para diminuir esse tumor antes de fazer uma cirurgia.

Além disso, o que mudou muito foi o tamanho do tumor de rim ao diagnóstico. No ano de 2000 e 2001, quando iniciamos o nosso banco de dados, tínhamos uma média do tumor de rim ao diagnóstico em cerca de 9 centímetros. Em 2011, essa média era um pouco mais de 4 centímetros, diminuindo praticamente metade. Nos últimos anos, nosso banco de dados tem uma média um pouco menos de três centímetros.

O que mudou com isso? Se o tamanho de um rim normal é de, mais ou menos, 9 a 11 centímetros em um tumor de 9 centímetros tirávamos o rim na totalidade dos casos. Na cirurgia de tumor, mais de 80% eram retiradas totais do rim. Em 2011, já era ao contrário, 80% nós preservávamos o rim.

Nos últimos anos, com tumores cada vez menores, nós temos a possibilidade de às vezes nem tratar ou operar em pessoas mais idosa e também tratamentos menos invasivos, como colocar uma agulha guiada por ultrassom ou tomografia e fazer o congelamento dessas lesões.

Veja também: Cisto no rim – o que é, riscos e avaliação.

Portanto, houve uma evolução muito grande do câncer de rins nos últimos 20 anos, tanto no que se refere ao diagnóstico que é cada vez menor, quanto no tratamento que cada vez preserva mais o rim com cirurgias menos invasivas. Além disso, recentemente algumas drogas lançadas favorecem até os casos de tumores mais avançados.

Dr. Cásssio Andreoni

Urologista pioneiro em robótica para cirurgia de próstata.

Entre em contato:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

agsdi-whatsapp