DST

Eu sou o Cássio Andreoni, e irei falar sobre as doenças sexualmente transmissíveis (DST), principalmente no homem (na mulher também).

O primeiro aviso é que a doença vem crescendo demais e causando muita preocupação, em todas as faixas etárias, inclusive em adolescentes, pois provavelmente houve certa negligência, uma fraqueza de informações para eles, e isso está aumentando de forma assustadora, não só pelo número, mas pela quantidade e algumas doenças que não víamos há muito tempo.

Quais as doenças mais comuns?

As doenças sexualmente transmissíveis mais comuns são: Hepatite e Hepatite C, e quase metade delas pode cronificar e a pessoa perder o fígado. Às vezes, tem que fazer até um transplante. Hepatite B e HIV são doenças sexualmente transmissíveis. E as hepatites são mais fáceis de transmissão por sexo do que a própria AIDS e HIV. Então, essas doenças, que muitas vezes são o HIV e a AIDS como DST, as pessoas esquecem um pouco das hepatites, que são transmitidas desta forma.

A gonorreia também está entre as mais comuns e populares, e nada mais é do que a saída de líquido pelo canal uretral do homem. As mulheres, muitas vezes, não obtêm sintomas. A bactéria da gonorreia se instala dentro da vagina, no colo do útero da mulher. Muita gente acha que sairá pus da região afetada, porém isso não acontece. Muitas vezes, não há corrimento e nenhum sintoma, por isso, é fácil a sua transmissão.

Assim, é possível afirmar que as doenças têm aumentado bastante, tanto a gonorreia, quanto a hepatite e o HIV. Além destas, a Sífilis também é uma das doenças que de uns anos para cá aumentou sua incidência. A doença não foi erradicada, mas se mantém de forma endêmica, ou seja, de baixo nível.

A sífilis é facilmente curável com qualquer antibiótico, mas vemos muitos casos no consultório, o que assusta um pouco. Quando isso acontece, é porque estão havendo muitas transmissões entre as pessoas.

É importante lembrar que a sífilis, no passado, era uma das grandes causas de mortalidade. A sífilis terciária pode acarretar em doenças muito graves, levando à morte.

Cerca de 20 anos, pós o contágio, é importante que a camisinha seja utilizada, pois é a melhor prevenção. E essa é uma pergunta constante para homens e mulheres.

Como prevenir?

Deve-se fazer o uso da camisinha sempre, mesmo que você já conheça a pessoa há algum tempo. Além disso, o ideal é pedir para que o parceiro, seja o homem ou a mulher, façam exames para ver se não estão com alguma contaminação. Desta forma, pode-se abandonar o uso da camisinha, quando você já conhece melhor seu parceiro.

Hoje, é muito comum as pessoas irem para a balada, conhecer a pessoa e no primeiro encontro ter relações sexuais, sem usar a camisinha. Isso é muito perigoso, e este é um fato que tem feito com que aconteçam tantos casos de transmissão, aumentando o número incidente de doenças sexualmente transmissíveis, em todos os níveis.

Veja também: Infecção urinaria como prevenir

Conforme dito anteriormente, adolescentes nas escolas, jovens nas faculdades e em ambientes de trabalho, pessoas que viajam muito. O mundo é pequeno, e as pessoas fazem grupos de amigos e viajam para a Europa, fazendo turismo sexual, e não utilizam preservativo.

Ao voltar para o Brasil, continuam saindo com outras pessoas. Ou seja, o contágio acontece não somente em nosso local, mas também no mundo inteiro. Então, aqui um aviso, usar camisinha sempre!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dr. Cásssio Andreoni

Urologista pioneiro em robótica para cirurgia de próstata.

Entre em contato: