Dr. Cássio Andreoni

HPV: Vacina antes da atividade sexual

Tempo de leitura: 2 min.

O HPV é uma doença sexualmente transmissível, e apesar de possuir uma vacina para prevenir a sua transmissão, não protege o indivíduo contra todas as suas variantes.

Neste post, iremos falar sobre a vacinação contra HPV, como se proteger dessa e outras doenças sexualmente transmissíveis e importância da proteção.

Como o HPV é identificado e diagnosticado 

O HPV é uma doença sexualmente transmissível, causada por um vírus que se transmite através do contato sexual, seja ele via oral ou genital. No homem, muitas vezes é percebido através de uma verruguinha ou uma sobrelevação da pele, algo que é visto, diferente de uma mancha ou pintinha. Já na mulher, é mais difícil de identificar porque o HPV fica dentro, por isso se fala tanto no exame de Papanicolau para elas, não só por ser uma forma de prevenção para o câncer do colo do útero, mas por também ser uma forma de identificar o HPV.

Como no homem qualquer área sobrelevada da pele pode ser um sinal de HPV, e é mais visível, é importante buscar atendimento médico assim que notar essa mudança.

Inicialmente, para confirmar a doença, é importante que se faça uma remoção, mande para biópsia, e se faça uma análise desse vírus, que tem quase uma centena de tipos e subtipos.

Vacina e prevenção contra o HPV

A vacina tetravalente, no geral, pega os 4 vírus mais comuns do HPV, e é importante que meninos e meninas sejam vacinados antes do início da atividade sexual, porque apesar dela realmente causar uma boa prevenção, não permite uma proteção total contra todos as variantes do vírus, por isso é importante  fazer a proteção e usar camisinha.

É importante tanto para a mulher quanto para o homem, que continuem se protegendo, usando camisinha, mesmo após a vacina, não só para evitar o HPV como outras doenças sexualmente transmissíveis.

Índice de HPV

Colegas de outras áreas como otorrinolaringologistas, têm falado que tem aumentado bastante o HPV na área bucal, tanto na área da faringe, como em toda parte bucal, o que também pode aumentar o câncer desses locais. Além disso, o vírus também pode ser transmitido na relação anal, afetando também o ânus, o que reforça a importância de uso de proteção em todas as situações, para evitar a transmissão do HPV e outras doenças.

Riscos ao não tratar

Quando tiver suspeita, é importante procurar um médico e fazer a remoção para confirmar ou não a presença do vírus. O HPV é uma doença que teoricamente incurável, então a partir do momento em que você tem contato com ela, você pode passar o resto da vida com ela, e se não for tratado, o vírus pode aumentar o risco de desenvolvimento de câncer, tanto no pênis, como para outros tipos de tumores iniciais.

No dia a dia, acabamos pegando muitas lesões pré-cancerosas, e em regiões do Brasil como nordeste, ou regiões com menor acesso a higiene pessoal e a saúde, o Brasil é um dos campeões de câncer de pênis, e o HPV é um dos suspeitos por contribuir para a formação disso.

Dr. Cassio Andreoni Ribeiro

CRM 78546
RQE 102167 - Urologista

Urologista formado na Universidade Federal de São Paulo, há 25 anos e qualificado em cirurgia minimamente invasiva e robótica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 | 10 / 08 / 20
Esse post serve de ALERTA para as pessoas que acham que as DST não causam nenhum problema e estão diminuindo cada vez mais. CONFIRA!
Ler Mais
 | 11 / 03 / 19
Entenda o que é HPV, como essa doença se expressa e quais são os possíveis meios de transmissão. CONFIRA!
Ler Mais
Atenção: O site  cassioandreoni.com.br  apresenta informações de qualidade, sobre a saúde masculina, para orientação de todos. Não substitui uma avaliação completa e diagnóstico adequados, em consulta médica.

Dr. Cássio Andreoni© – CRM 78.546 | Desenvolvido por Surya Marketing Médico.

Todos os direitos reservados © 2024
Última atualização: 08/01/2024 às 10:05